Projeto de dessalinização de água da ArcelorMittal Tubarão é premiado


Sistema reconhecido com prêmio de inovação em Dubai começa a ser construído este ano na Serra e irá produzir até 500 metros cúbicos por hora, reduzindo o consumo do Rio Santa Maria

O projeto de dessalinização de água do mar da ArcelorMittal Tubarão ganhou o prêmio de Projeto Inovador no congresso International Desalination Association (IDA), realizado de 20 a 24 de outubro em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

O sistema de tratamento em grande escala, pelo processo de osmose reversa, começa a ser construído ainda este ano, com investimento total de R$ 50 milhões e conclusão das obras prevista para 2021. A capacidade de produção será de até 500 metros cúbicos por hora de água dessalinizada, ou 12 mil metros cúbicos por dia, para uso nos processos operacionais.

A planta será compacta e moderna, modular, permitindo expansões no futuro com a inserção de novos módulos.

A planta de dessalinização de água do mar fica pronta em 2021, num investimento total de R$ 50 milhões (Fotos: Divulgação/ArcelorMittal Tubarão)

SUSTENTABILIDADE

A iniciativa, além de garantir segurança para a empresa durante possíveis cenários de escassez hídrica, representa um avanço significativo em sustentabilidade para o Espírito Santo, já que irá reduzir a demanda por água tratada proveniente do Rio Santa Maria da Vitória – que abastece municípios da Grande Vitória.

Atualmente, a ArcelorMittal Tubarão já conta com um sistema que permite que 96,5% da água sejam captadas do mar, sendo os 3,5% restantes fornecidos pela Cesan – e a tendência é que esse percentual seja reduzido cada vez mais.

“O projeto é pioneiro em sua configuração, escala, qualidade da água produzida e seu destino, que atenderá à indústria siderúrgica, liberando as fontes de água potável locais em benefício da população, sem impacto ambiental”, afirmou Alejandro Sturniolo, diretor da IDA para a América Latina e Caribe.

João Bosco Reis da Silva, gerente-geral de Sustentabilidade e Relações Institucionais da ArcelorMittal Tubarão, destaca que outro benefício do projeto será dar ao Estado a oportunidade de aprender mais sobre esse tipo de tecnologia. “Desenvolveremos parcerias com várias instituições do meio acadêmico, que poderão vir a conhecer e estudar o funcionamento e a operação desse tipo de sistema. O projeto também poderá fomentar o desenvolvimento de mão de obra capixaba especializada nessa área, que é totalmente inovadora. Despontará não só a ArcelorMittal Tubarão, mas o Espírito Santo em posição de vanguarda na área de gestão hídrica no País”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *