Cresce a infraestrutura para o trânsito seguro de bicicletas em Vitória


Uso do sistema Bike Vitória é mais intenso em dias úteis, indicando que a população está optando pela bicicleta para os trajetos casa-trabalho-estudo.

Ciclovias e ciclofaixas ganham cada vez mais espaço no Espírito Santo. Só em Vitória já são 36,42 quilômetros.

“Queremos aumentar o número de ligações com as ciclovias e ciclofaixas da Grande Vitória. Existe ainda a intenção de conectar com todos os grandes corredores”, garante a secretária de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória (Setran), Ana Elisa Nahas.

Vitória prevê a construção de 14km de ciclovias em 2020, incluindo avenidas como Vitória e Rio Branco. Em Vila Velha, o projeto é terminar 2020 com mais 20km de ciclovias e, na Serra, 11km. Os três municípios prevêm expandir o número de estações e bicicletas de aluguel. Já em Cariacica, onde um estudo identificou que 65% dos moradores se locomovem dentro do próprio município, o projeto é criar 31km de novas ciclovias.

Com o desenvolvimento de uma maior e melhor malha cicloviária, o uso da bicicleta vem crescendo de forma considerável nos últimos anos. Dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) mostram que de janeiro a setembro de 2018 houve um salto de 19,2% no volume de bicicletas produzidas, totalizando 777.091 unidades, ante 652.092 unidades no mesmo período do ano anterior.

Ciclorrota Praça dos Namorados-Shopping Vitória (Foto: Douglas Schneider/Divulgação)
(*Crédito foto de abertura: Diego Alves/Divulgação)

MEIO DE LOCOMOÇÃO

O cenário também se justifica pela expansão das ciclofaixas de lazer aos finais de semana e do sistema de bicicletas compartilhadas. Em Vitória, as estatísticas de uso do sistema Bike Vitória mostram uma mudança clara de comportamento.

Terças e quintas são os dias da semana de maior volume de viagens, enquanto o sábado é o de menor volume. Esse é um importante indicador: durante a semana, os usuários utilizam as bicicletas não apenas para lazer, mas também como meio de locomoção nos deslocamentos casa-trabalho e/ou casa-estudo, demonstra análise feita pela Setran e Serttel – empresa que administra o projeto.

A bicicleta parece ter entrado de vez na rotina do capixaba, principalmente nos horários de pico: durante a semana, a maior quantidade de partidas utilizando o Bike Vitória ocorre nos períodos da tarde e da noite, com maior volume entre 17h e 19h. Há também um segundo pico, de menor intensidade, por volta das 20h. Sábado possui um uso mais linear, e domingo o pico das viagens ocorre por volta das primeiras horas, com volume registrado até as 12h.

“Nós queremos oferecer mais segurança para que os ciclistas possam transitar tranquilamente. Além de desafogar o trânsito, o maior uso da bicicleta irá diminuir a emissão de poluentes”, reforça a secretária.

Outro indicativo importante da adesão da população de Vitória ao transporte por bicicleta é o ranking da Yellow, serviço de aluguel de bikes por aplicativo: a capital capixaba é a segunda cidade que mais utiliza o sistema, ficando atrás apenas de São Paulo. Foram mais de 95 mil quilômetros percorridos com as bicicletas amarelas em Vitória.

CICLOVIA DA VIDA

A Secretaria de Estado da Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) anunciou, em agosto deste ano, o anteprojeto da Ciclovia da Vida, uma estrutura metálica que será anexada nas laterais da Terceira Ponte para a passagem de ciclistas e ao mesmo tempo será barreira de proteção para evitar suicídios. Além disso, a capacidade de trânsito da ponte deve ser aumentada em torno de 40%, com a criação de duas novas faixas. Desse modo, a ponte passará a contar com três faixas em cada sentido. O prazo de execução da obra será de três anos.

A instalação de uma barreira de proteção na Terceira Ponte é antiga reivindicação da sociedade capixaba, assim como a inclusão de uma ciclovia para que a travessia entre os municípios de Vitória e Vila Velha também pudesse ser realizada por ciclistas.

Próximo ao vão central, a estrutura da ciclovia terá um alargamento, chegando a seis metros, e funcionará como uma espécie de mirante. Neste ponto, parte da grade antiescalada será substituída por vidro. As pistas serão de sentido único: uma para vitória e uma para Vila Velha.

O secretário de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, explicou que não haverá cobrança de pedágio para acessar a ciclovia, mas o acesso será liberado apenas com o CartãoGV (Bilhete Único Metropolitano), para maior segurança da via, sem efetuar desconto de tarifa.

ENTENDA MELHOR:

Ciclovia: uma via voltada para os ciclistas com separação física isolando os ciclistas dos demais veículos.

Ciclorrota: bicicletas, carros, ônibus e motos trafegam juntos.

Ciclofaixa: uma das faixas de via é separada para ciclistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *