Global Touch conecta empresas para benchmarking e intercâmbio


Startup capixaba cria planos personalizados para troca de experiências seguindo desafio de cada cliente, mediando visitas no Brasil e exterior.

O desafio enfrentado por uma empresa certamente já foi vivido por outra, seja do mesmo segmento ou não. E o melhor caminho para a solução está na troca de experiências com quem já superou situações semelhantes. O papel da Global Touch é conectar essas duas pontas.

A startup capixaba, das fundadoras Carolina Ferreguete e Julia Caiado, desenvolve um planejamento personalizado de benchmarking e intercâmbio empresarial com foco em educação corporativa, de acordo com a demanda específica de cada cliente – inovar, mudar o mindset da equipe, engajar o time, aprimorar uma operação de uma área ou da empresa toda etc.

“As empresas chegam com algum desafio específico, nós entendemos qual é o panorama e, a partir daí, selecionamos empresas e criamos uma curadoria para o nosso cliente conhecer aquela realidade na prática. São reuniões e visitas técnicas para conhecer como outros negócios superaram o desafio apresentado. Pode ser em empresas na área dela ou hubs de inovação, por exemplo”, explica Carolina.

A curadoria é feita a partir de uma pesquisa detalhada do mercado para identificar experiências semelhantes, seja com uma rede de parceiros já estabelecida ou empresas identificadas durante o processo de pesquisa.

“Temos uma rede muito boa, e quando não está na nossa rede, nós criamos esse relacionamento. Ligamos, conversamos, explicamos o que é a Global Touch, como é o nosso trabalho e temos muita receptividade”, disse Carolina.

Ela ressalta que essa rede é formada de pessoas dispostas a trocar.

“A empresa que vai receber nossos clientes tem que estar com esse pensamento de querer trocar mesmo, porque senão não vai ser bom para ela e não vai ser bom para quem foi. Deixamos bem claro em todas as reuniões que se trata de troca de conhecimentos, experiências e ideias, sem qualquer expectativa de ganhos financeiros diretos. Mas acaba tendo ganho dos dois lados, porque quando você fala do seu negócio, do seu processo, você também aprende”, destaca.

Carolina Ferreguete e Julia Caiado, fundadoras da Global Touch (Fotos: Divulgação)

ROTEIRO

O roteiro é criado em detalhes e o cliente já parte para as visitas e reuniões com a agenda completamente montada.

“Temos um aplicativo onde o cliente acompanha todas as informações, os horários, explicações de quem é que vai recebê-lo, como é a empresa, fotos, tudo completo”, conta.

E o destino pode ser dentro do próprio Espírito Santo, outros estados do Brasil ou até no exterior. Foi o caso de um CEO da área da construção civil que chegou com a demanda de ir para Portugal ou Inglaterra.

“Estudamos os dois mercados, as inovações locais e chegamos à conclusão de que o mais apropriado para a necessidade dele era Londres. Fizemos os contatos, agendamos as reuniões e nesse caso ele foi sozinho, pois os encontros eram um a um e ele ficaria mais à vontade”, disse.

Quando as visitas são em grupo, a equipe da Global Touch acompanha, para fazer a mediação da agenda e cuidar dos horários. As visitas em grupo podem ser específicas para a demanda de um setor da empresa contratante ou com um roteiro criado pela própria startup, que estabelece uma agenda predeterminada e abre para a participação dos interessados – de empreendedores a professores universitários.

“A principal demanda que chega para nós é como engajar, reter e contratar. Esses são os maiores desafios das empresas modernas, especialmente as de tecnologia, pois é um setor que tem muita rotatividade”, conta Carolina.

Visitas em grupo podem ser personalizadas para um setor específico da empresa que contrata a Global Touch

PLATAFORMA

Uma plataforma para reunir uma comunidade de troca de conhecimento está sendo desenvolvida, com o objetivo de facilitar o acesso ao networking. Com o lançamento, ainda sem data definida, as pessoas poderão trilhar seu caminho de relacionamentos de maneira mais autônoma e a um custo menor.

“A pessoa vai poder entrar na plataforma e buscar quem são os profissionais da área que ela pretende conhecer melhor para trocar conhecimento”, explica Carolina.

INÍCIO NA STARTUP WEEKEND

A Global Touch nasceu dentro de um evento Startup Weekend, em que os participantes desenvolvem uma ideia durante um final de semana inteiro. A ideia de Julia e Carolina foi premiada com o primeiro lugar e ganhou uma mentoria.

“A mentoria nos ajudou muito a transformar a Global Touch no que é hoje, a refinar a ideia. Porque um final de semana não é suficiente para estruturar uma empresa e sair com ela funcionando. Isso foi muito importante para nós, até para a nossa captação de investimento. Os mentores estruturaram o processo junto com a gente”, disse Carolina.

A participação delas na Startup Weekend foi em 2017 e em 2018 a empresa iniciou suas operações de fato, com clientes e faturamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *