Na crise, não esqueça de se comunicar com o seu público mais importante: os funcionários

Partindo para o segundo mês de isolamento social e sem nenhuma perspectiva concreta de quando isso de fato vai acabar, se você dono de empresa está desesperado, imagine o seu funcionário. Tão importante quanto ações solidárias voltadas para a sociedade, as ações de apoio e comunicação ao seu time são vitais para a reputação e geração de valor para sua marca.

À distância, em suas casas, eles são os embaixadores de sua causa. E são os primeiros a tomar o remédio amargo desta crise: a redução de salário ou a demissão.  Se este for o caminho necessário para a sobrevivência de sua empresa, tenha coerência nas ações. De que adianta ir para as redes sociais alardear campanha de arrecadação de cestas básicas ou doação de recursos para o combate ao coronavírus, se não consegue garantir ajuda a quem está mais próximo de você? Sua reputação vai ganhar muito mais pontos se você fizer para fora e para dentro.

Em gestão de crise, momentos como os que estamos vivendo são ricos de aprendizado. Tenho observado ondas de comunicação e muita ansiedade em fazer alguma coisa para poder ganhar espaço e engajamento online durante a pandemia.  E soluções ótimas de comunicação ganharam destaque nesta nova vida mundial. Comunicados, o Zoom, as lives, o webinar, o jornalismo profissional, as campanhas de arrecadação, as campanhas de valorização ao empreendedor local, o e-commerce, as doações, enfim, a descoberta de que muita coisa pode ser feita remotamente. Definitivamente, não seremos mais o que éramos antes.

E agora, vamos enfrentar uma nova onda forte: há quase um mês sem trabalhar a pleno vapor, as reservas financeiras das empresas e empregados vão precisar de respiradores. Pacotes de Governo ajudam muito nesta hora, mas não são suficientes para acalmar as pessoas.  Então, sugiro que neste momento, dirija o seu olhar também para comunicação interna com o seu time. Seja transparente, claro e objetivo sobre o que está sendo feito para o enfrentamento da crise.  Se é chefe, evite exposição esnobe de sua vida particular em rede social. E muito cuidado com o que fala! A razão tem que estar acima de sua emoção. Tenha humildade para se colocar no lugar do outro, clareza de seus limites enquanto gestor, e sabedoria para comunicar com empatia as decisões que precisa tomar.

Luciane Ventura é jornalista e consultora de mídia, imagem e reputação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *