Movimento Cidadania Coletiva faz campanha por uma retomada responsável


Campanha está no ar com o objetivo de sensibilizar capixaba a pensar no coletivo

O Brasil enfrenta emergências simultâneas de saúde, econômicas e sociais durante a pandemia da Covid-19. O número de casos chega aos 700 mil, com quase 37 mil mortes, e o país ainda enfrenta sérias dificuldades em manter medidas de distanciamento social e fortalecer os sistemas de saúde. “A situação que enfrentamos é terrível, mas não desesperadora, desde que nossa abordagem para derrotar o vírus se baseie na solidariedade. Devemos trabalhar juntos, compartilhar recursos e aplicar as estratégias comprovadas que aprendemos ao longo do caminho” ressaltou a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne.

No Espírito Santo, o Movimento Cidadania Coletiva, uma iniciativa para unir a sociedade com foco na participação de processos relevantes para desenvolvimento do Estado, faz a sua parte, e se mobiliza para defender uma mudança de comportamento do capixaba pelo bem comum. Entrou no ar nesta segunda-feira (08) a campanha Por uma Retomada Possível, que tem como propósito sensibilizar a sociedade capixaba sobre a importância da união para conter o avanço do coronavírus no Estado.

Mesmo diante do crescente número de mortes e de novos casos de Covid-19, o Estado registrou o pior nível de isolamento social desde que começou a ser medido na pandemia, abaixo de 44,68%, no último dia 5, segundo informações do Painel de isolamento social da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Cada vez mais pessoas vão às ruas, desprezando as orientações do Governo do Estado e colocando a própria vida e a de outros em risco.

Enquanto há quase 90 dias escolas, comércio, indústria e toda a economia estão operando com severas restrições para garantir um funcionamento mínimo, ruas, praias e  calçadões permanecem movimentados. “Pensar coletivamente é a única forma de enfrentar um desafio tão complexo. A proposta do movimento é fazer todos entenderem sua responsabilidade, unindo instituições e cidadãos em um trabalho de conscientização urgente para maior crise da história do Espírito Santo”, ressalta o porta-voz do Movimento, Rimaldo de Sá.

O manifesto do Movimento Cidadania Coletiva chama o cidadão à responsabilidade para o fato de que apesar de os números de mortes e contaminados pelo Covid-19 estarem crescendo, tantos ainda desprezam as orientações. A mensagem é por união, atitude, e pela preservação da vida e dos empregos. A campanha conta com a adesão do Fórum de Entidades e Federações (FEF) e o vídeo da campanha está sendo divulgado nas redes sociais das instituições que o compõem: ES em Ação, Federações da Agricultura e Pecuária (Faes), do Comércio de Bens e Serviços (Fecomércio), dos Transportes (Fetransportes) e das Indústrias (Findes).

Em carta aberta à sociedade, o diretor-presidente do ES em Ação e coordenador do FEF, Fabio Brasileiro, apela para que os capixabas se unam e mostrem sua forca e sua disciplina. “Apenas as medidas do governo e do setor produtivo não serão suficientes para vencermos esta luta. A prevenção começa pelo cidadão. Evite sair de casa se não for trabalhar ou resolver algo de extrema necessidade. Se é empresário, adote como regra as medidas de proteção à saúde na sua empresa e entre os seus colaboradores. O setor produtivo precisa continuar operando para que os empregos sejam mantidos”, salienta no documento.

Em posicionamento no site da Findes, o presidente da Federação, Léo de Castro, reforça que o desafio da pandemia deve ser enfrentado por governo, setor produtivo e sociedade. “A participação de cada cidadão é fundamental: cada um tem a sua parcela de responsabilidade. O setor produtivo está colaborando. Tenho reforçado que cada empresa deve ser um centro irradiador de boas práticas. Quem puder ficar em casa, fique em casa, trabalhe de casa e observe os protocolos de segurança se precisar sair às ruas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *