E-book orienta escolha do candidato em oito passos


Espírito Santo em Ação e Politize! lançam material com dicas práticas do que observar na hora de decidir o voto em prefeito e vereador

Escolher os gestores dos municípios e os representantes da população é tarefa de grande responsabilidade, que deve ser tratada com seriedade e critérios bem estabelecidos. Para ajudar na hora de decidir o voto nas próximas eleições municipais, o Espírito Santo em Ação e o movimento de educação política Politize! lançaram o e-book “8 passos para escolher seu candidato nas eleições”.

O material, que faz parte de um projeto do ES em Ação com a rede empresarial capixaba, aponta os caminhos para avaliar histórico pessoal e político, afinidades, bandeiras do partido, propostas, atribuição de cada cargo, fiscalizar gastos de campanha e se o candidato conhece a realidade do município.

O objetivo é que o eleitor não baseie seu voto em apenas um ponto, mas sim considere uma série de aspectos importantes, chegando a uma escolha consciente – especialmente em um ano eleitoral com recorde de candidaturas.

Confira um resumo dos oito passos para basear uma decisão de voto consciente no exercício da cidadania:


1 – Conheça o histórico pessoal dos candidatos

Obter o maior número possível de informações sobre o candidato, como histórico pessoal e profissional, postura ética fora do período eleitoral, projetos e polêmicas. Também é importante verificar a situação perante a Justiça, como a existência de algum processo criminal contra ele.

O primordial é pesquisar em fontes confiáveis, como sites oficiais da Justiça Eleitoral e veículos de comunicação de credibilidade. Também é importante ficar atento ao grande número de informações falsas divulgadas em redes sociais.


2 – Pesquise o histórico político

Se o candidato já ocupou algum cargo legislativo, verifique se ele foi um parlamentar ausente ou se compareceu às sessões, quais projetos apresentou e como votou em projetos que o eleitor considera importantes. Avalie se concorda ou não com seu posicionamento. Essas informações estão disponíveis em portais de transparência e das câmaras e assembleias legislativas.

E se o candidato já exerceu algum cargo no Executivo (presidente, governador ou prefeito), analise quais investimentos ele realizou, se foram bem executados, como foi usado o dinheiro público na sua gestão e como foi o índice de aprovação de seu mandato nas pesquisas de opinião.

Por fim, se o candidato está concorrendo a um primeiro mandato, pesquise como é sua atuação profissional, o que é um bom indicador de como ele irá desempenhar o cargo.


3 – Busque afinidade de pensamento

É importante que os candidatos tenham valores parecidos com os de seus eleitores e defendam o caminho que eles acreditam ser o melhor para o município. Escolha alguém que tenha as mesmas prioridades.


4 – Conheça o partido do candidato

Analise o histórico e as bandeiras do partido ao qual o candidato é filiado. Pesquise envolvimentos com corrupção ou crimes eleitorais e observe o mesmo em relação aos outros partidos da coligação.


5 – Conheça as propostas

Avalie se as promessas de campanha são possíveis de serem realizadas, bem elaboradas e com planos viáveis para colocá-las em prática, além da indicação de onde virá a verba de execução. As ideias estão disponíveis em redes sociais, sites, discursos e planos de governo dos candidatos.

Aproveite esses canais para questionar sobre temas de seu interesse e observe se as respostas são completas ou genéricas e se ele foge ou não de questões polêmicas.


6 – Entenda as atribuições de cada cargo

Para saber se as promessas do candidato são válidas, é preciso conhecer as funções do cargo que está em disputa. Aos vereadores, cabe legislar e fiscalizar o trabalho do prefeito. Se o candidato promete obras ou ampliação de vagas em creche, por exemplo, não é válido, pois essas atribuições são do prefeito.


7 – Observe os gastos de campanha

Campanhas não podem mais receber doações de empresas, o que representou uma queda drástica na verba disponível para o período eleitoral – as campanhas dependem somente do Fundo Partidário, do Fundo Eleitoral e de doações de pessoas físicas. Sinais de que uma campanha está sendo muito cara podem indicar uso de dinheiro indevido, como de caixa 2.


8 – Cobre um diagnóstico da cidade

Um bom candidato deve ter um bom conhecimento das necessidades do município, já que as promessas devem ser baseadas no que a cidade e os moradores precisam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *