Programa de inovação Pulsar faz parceria com PUCPR


Primeira ação do programa da Unimed Vitória com a Hotmilk será nesta quinta, com a live que traz Mirella Lisboa, head de inovação aberta do Cubo Itaú

Em um movimento rumo a novas conexões com o mercado, o Pulsar, programa de inovação da Unimed Vitória, inicia parceria com a Hotmilk, ecossistema de inovação da PUCPR, e a primeira ação será nesta quinta-feira, 24, às 14h, com inscrições gratuitas no http://unimed.me/Wa3Yv. A convidada é a head de inovação aberta do Cubo Itaú, Mirella Lisboa, que fala sobre “Inovação aberta do conceito à prática”. A live contará ainda com a presença do coordenador de inovação da Hotmilk, Marcelo Finger.

Mirella Lisboa, head de inovação aberta do Cubo Itaú

“A parceria com a Hotmilk será feita em três frentes: lives abertas ao mercado, workshop interno com foco em lideranças e abertura de desafios para startups do ecossistema de inovação nacional. Todas essas frentes promovem o desenvolvimento dos pilares direcionadores de inovação da cooperativa, que são a integração com a estratégia, conexões e cultura. Nessa iniciativa com a Hotmilk conseguimos fortalecer todos esses direcionadores”, salienta o superintendente de inovação da Unimed Vitória, Luiz Fernando Dutra.

Uma vez por mês, até novembro, as lives do Pulsar trarão nomes importantes do mercado de inovação nacional. O evento virtual será veiculado sempre às 14h, no canal no Youtube da Unimed Vitória (http://unimed.me/W9-ZG).

Desafios para o mercado

No mês de julho será lançado oficialmente o Pulsar Projetos, que abrirá desafios da Unimed Vitória para que startups submetam suas soluções. “Startups de todo o País poderão participar. Com apoio de curadoria da Hotmilk, serão selecionadas as startups que trouxerem soluções viáveis para os desafios propostos. Acreditamos que essa é uma forma de fortalecer o Pulsar no mercado e ampliar nossas soluções”, analisa o superintendente.

O Pulsar Projetos prossegue pelo segundo semestre e ao final do processo as startups selecionadas serão testadas com protótipos, provas de conceito e MVP (Minimum Viable Product, em português Produto Mínimo Viável), para que sejam avaliadas as contratações.

Para o diretor-presidente da Unimed Vitória, Fernando Ronchi, todas essas ações ajudarão a ampliar as conexões com os ecossistemas de inovação do País. “Além de potencializar o programa Pulsar no mercado, esse movimento possibilitará a criação de um grande banco de contatos e trazer sugestões de melhorias para os desafios aliados à estratégia da cooperativa”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *